terça-feira, 16 de março de 2010

RESUMO DA CULTURA DA ABOBORA HIBRIDA

abobora 2

Abóboras e morangas são plantas produzem flores masculinas e femininas na mesma
planta e necessitam de abelhas para fazer a polinização. No caso do híbrido japonês, as
flores masculinas aparecem em número muito reduzido e não produzem pólen. Por isso, é
preciso que se intercale ao plantio da moranga híbrida outra espécie de abóbora ou
moranga, que fornecerá o pólen necessário à frutificação. Como planta polinizadora, podem
ser usadas a moranga-coroa, a menina-brasileira a abobrinha-italiana , Carijó AG-
279,Exposição.
Sementes das morangas Lavras I e Lavras II, muito semelhantes à moranga híbrida
Tetsukabuto, deverão ser lançadas no mercado assim que estejam concluídos os trabalhos
de melhoramento, já em fase adiantada de testes no campo. As novas variedades, Lavras I e
Lavras II, apresentam a vantagem de não necessitarem da intercalação de abóboras
polinizadoras para frutificarem.

ESCOLHA DO LOCAL

Preferir terrenos argilo-arenosos profundos. Para plantio na época das águas, escolher
terrenos de encosta, de preferência com a face voltada para o nascente.
Para plantio na época seca, preferir terrenos de baixadas, para diminuir as irrigaçoes.

ÉPOCA DE PLANTIO

A moranga híbrida pode ser plantada durante todo o ano, nas regiões quentes. Nas
regiões sujeitas a geadas, o plantio deve ficar limitado ao período de agosto a fevereiro.

PREPARO E CONSERVAÇÃO DO SOLO

A aração deve ser profunda e bem feita, dispensando-se a gradagem. O terreno
menos destorroado diminui a superfície de contato do fruto com o solo, evitando assim o
aparecimento da mancha de encosto e calo d’água.
Em terrenos com declividade superior a 5 por cento, há necessidade de se adotarem práticas
de conservação do solo.

CORREÇÃO DA ACIDEZ

Remeter amostra do solo para o laboratório 3 a 4 meses antes da plantio, para saber a
quantidade de calcário a ser aplicado. Seguir a instrução da EMATER-MG sobre "Amostras
de Solo para Análise", O pH ideal para a cultura varia de 5,5 a 6,6. A cultura responde com
excelentes resultados à aplicação de calcário.
A deficiência de cálcio na planta já em fase de frutificação provoca queda prematura de frutos
e podridão estilar

DSCN4016resize2

COVEAMENTO

Covear no espaçamento de 3 metros por 2 metros e meio. As dimensões mais
adequadas para as covas são 40 centímetros por 40 centímetros de boca e 30 centímetros
de profundidade.

ADUBAÇÃO

Recomenda-se fazer adubação de acordo com os resultados da análise do solo. Na
ausência desses resultados e tratando-se de terreno pouco adubado, usar as seguintes
adubações :
a) Adubação de Plantio - Aplicar 5 quilos de esterco de curral bem curtido por cova mais 250
gramas de adubo, fórmula 4-14-8, sendo 150 gramas deste na cova e 100 gramas
espalhados no terreno próximo ao sulco de irrigação.
OBS.: - Quando não se fez a calagem com antecedência, recomenda-se, no ato da
adubação de palntio, aplicar também 100 gramas de calcário dolomítico por cova.
b) Adubação de Cobertura -Depois que iniciar a floração, fazer a primeira adubação de
cobertura, aplicando-se 50 gramas de fórmula 12-6-12 por cova. Caso haja necessidade,
repetir a aplicação, com a mesma dosagem, 30 dias depois da primeira.

PLANTIO

Pode ser feito por dois processos:
a) Plantio direto - Consiste em se colocar 2 a 3 sementes diretamente na cova e cobri-las
com 2 centímetros de terra.
b) Plantio por Mudas - As mudas são formadas em sacos pequenos ou copinhos de jornal
com altura de 10 centímetros e diâmetro de 5 centímetros.
Para confecção dos copinhos de jornal, aconselha-se usar, como molde, uma lata de cerveja.
Para enchimento dos recipientes, usar uma mistura preparada na proporção de 80 litros de
terra de barranco e 40 litros de esterco bem curtido. Para cada 1.000 litros dessa mistura,
acrescentar 10 quilos de adubo, fórmula 4-14-8.
Encher os copinhos deixando 2 centímetros para completá-los. Semear 1 semente por
copinho ou saco plástico cobrindo a seguir com 1 centímetro de terra.
Para evitar o aparecimento da doença denominada "tombamento", recomenda-se regar o
canteiro, logo depois da semeadura, com uma solução contendo 40 gramas de Kobutol 750
ou Plantacol para cada 20 litros de água.
Somente quando a muda tiver 2 a 3 folhas definitivas é que se deve lavá-las para o campo.
O processo de plantio por mudas é mais vantajoso pelos seguintes motivos:
a) No processo por semeio direto, muitas sementes poderão não germinar por falta de chuva
ou irrrigação insuficiente. No semeio em copinhos ou sacos plásticos, a germinação fica
garantida pelas irrigações que são feitas com facilidade.
b) O processo de plantio por mudas possibilita a seleção de plantas, reduz o custo da
irrigação e permite um controle mais eficiente de pragas e doenças na fase inicial da cultura

foto_241

ESQUEMA DE PLANTIO

O plantio deve ser feito intercalando-se uma cova de moranga-coroa com 5 ou 6 covas
de moranga híbrida, ou 1 fileira de moranga-coroa com 5 ou 6 fileiras de moranga híbrida.
No plantio direto, a moranga-coroa deverá ser plantada 15 dias antes da moranga híbrida, o
mesmo acontecendo com a abóbora comum. Se a intercalação for feita com abobrinha-
italiana, esta deverá ser plantada 15 dias depois da moranga híbrida.
No plantio por mudas, o transplante poderá ser feito no mesmo dia desde que o semeio da
moranga-coroa tenha sido feito 15 dias antes da moranga híbrida, ou no caso da abobrinha-
italiana,
se esta foi semeada 15 dias depois da moranga híbrida.

IRRIGAÇÃO

Irrigação logo depois do plantio, se não houver ocorrência de chuva. Manter as covas
bem irrigadas até os 30 a 50 primeiros dias de vida da planta. Atingindo maior
desenvolvimento, a folhagem cobre o terreno, ficando mais fácil manter a umidade do solo.

CAPINAS

Fazer quantas forem necessárias para manter a cultura no limpo.

CAPAÇÃO

É uma operação que se recomenda fazer logo após a emissão da terceira folha, o que
normalmente se dá com 30 a 40 dias depois da semeadura. consiste em eliminar-se a guia
da planta para forçar o aparecimento de ramas laterais
tetsu1b

POLINIZAÇÃO

a) Natural - Quando é feita por insetos que transportam o pólem das flores masculinas
da moranga-coroa para flor feminina da moranga híbrida. A abelha é o inseto que mais
contribui para a polinização e tem o seu horário de trabalho mais intenso na parte da manhã.
b) Artificial (somente utilizada para abóbora japonesa) - Quando o cruzamento entre as
plantas é feito pel mão do homem. Arranca-se a flor masculina aberta da moranga-coroa e
encosta a parte masculina desta flor na parte feminina da flor da moranga híbrida.
Esta operação deve ser somente pela manhã e até 8 horas, quando as flores encontram-se
recém-abertas. Cada flor masculina pode ser utilizada para polinização de até 7 flores
femininas.
A polinização artificial feita em uma cultura pode aumentar em até 50 por cento a
produtividade da lavoura, principalmente nos lugares onde a ocorrência de insetos é
pequena.

COMBATE A PRAGAS E DOENÇAS

Para combater ou prevenir o ataque de pragas e doenças, usar somente produtos
registrados para a cultura, obedecendo-se ao período de carência, às dosagens e aos
cuidados na aplicação. Procure um técnico para maiores orientações

view1resize1

COLHEITA

Realizada aproximadamente aos 120 dias depois do plantio, quando os talos dos
frutos apresentam-se amarelecidos, indicando que as morangas estão maduras. Corta-se
então o talo com auxílio de tesoura de poda ou serrote, deixando-o com aproximadamente 2
a 3centímetros de comprimento.

ARMAZENAMENTO

Quando os preçõs não estão bons, os frutos podem ser armazenados em galpões
ventilados e adequados por um período de 1 a 2 meses, desde que as morangas tenham
sido colhidas em época seca.

CLASSIFICAÇÃO E EMBALAGEM

Para conseguir melhores preços, recomenda-se classificar os frutos separando-os em
duas classes:
de primeira - frutos com peso superior a 1 quilo e meio;
de segunda - frutos com peso inferior a 1 quilo e meio.
A moranga híbrida é ambalada em sacos telados de 25 quilos



Um comentário: