quinta-feira, 20 de março de 2014

Como Ter Um Jardim Dentro de Casa



Ter um belo jardim não é privilégio apenas de quem mora em casas térreas ou possui um grande terreno para cultivar. O contato com a natureza também é possível em pequenos espaços de prédios comerciais ou apartamentos, por exemplo, através dos jardins internos.
Manter plantas em ambientes fechados é uma forma de trazer beleza e tranqüilidade ao ambiente e de aliviar a tensão trazida pelo cotidiano agitado das grandes cidades.
A melhor opção para quem quer criar um jardim dentro de seu apartamento sem ter muito trabalho são mesmo os vasos, ideais para cantos de leitura, reflexão e relaxamento. Os melhores são os vasos de pequeno e médio porte, que são fáceis de deslocar e manusear na hora de cuidar das plantas. Prestando atenção aos detalhes de adaptação de cada planta aos diferentes ambientes (luminosidade, tempo de exposição ao sol, calor, etc.)., a variedade de espécies que podem ser plantadas é muito grande.
Transformar o terraço numa pequena varanda com plantas e flores pode ser uma alternativa para deixar seu apartamento com uma área ao ar livre mais aconchegante. O primeiro passo é buscar informações sobre a estrutura da varanda ou terraço, para saber até que ponto ela pode suportar o peso adicional de vasos, terra, plantas e demais elementos envolvidos em seu projeto de paisagismo. Não plante diretamente sobre a laje para evitar infiltrações e a invasão de raízes nos ralos e vãos do concreto. A melhor opção é o uso de vasos e caixas de diferentes tamanhos e formatos oferecidos no mercado. Para que não surjam poças d'água na hora de fazer as regas, verifique se há um bom escoamento da água até os ralos. Se for possível, crie um pequeno declive no piso para evitar esse tipo de problema e capriche na impermeabilização.

Jardim dentro de casa

Caso você queira dar a impressão de canteiro sobre o piso, plante em caixas mais rasas e disfarce as bordas com pedras ou um ripado de madeira. O vento é o principal desafio para jardins em terraços de apartamento. Para reduzir seu impacto e proteger as plantas mais frágeis, crie uma barreira com espécies resistentes, como pequenas palmeiras, coníferas, bambus e trepadeiras. Se quiser, use uma das paredes para fazer um "jardim vertical", usando principalmente bromélias e orquídeas para montar os arranjos. E tenha sempre em mente que as plantas cultivadas em terraços sofrem grande perda de umidade e precisam de regas diárias para manter o substrato sempre úmido. A adubação não pode ser esquecida, pois as regas freqüentes ajudam a eliminar os nutrientes.
Outra idéia simples e prática é a criação de mini-jardins, com miniaturas de plantas que podem originar verdadeiros jardins portáteis. Defina o ambiente, escolha as espécies corretas e leve a natureza para casa. Você pode montar arranjos com pequenos cactus, mini-bromélias e suculentas, arrumados em vasos baixos; ou com plantas aquáticas, que podem ser colocadas em potes de vidro transparente e arrumadas de forma a se harmonizar com seu ambiente. Use pedriscos, folhas secas ou musgo para forrar a superfície. Misturar plantas vivas com outros elementos, como velas, pedras e bambus dão um belo efeito.

Jardim dentro de casa

Em cozinhas que recebem pelo menos 3 horas diárias de sol, um canteirinho de chás e ervas medicinais é uma boa pedida. Camomila, hortelã, menta, manjericão e outras plantas podem servir para fazer chás ou complementar o tempero caseiro e embelezar a cozinha.
Para o banheiro, use as plantas aquáticas. A alface d´água, o agapé, a zontas e o camarão reproduzem-se rápida e espontaneamente. No geral, precisam receber pelo menos alguma iluminação natural, devendo ficar perto da janela ou da porta. Há aquáticas, como o papiro, o copo-de-leite, a ninféia, a lótus e a pompedéria que, mesmo em água, devem ter suas raízes sustentadas por terra.




Plantas medicinais
Plantas aquáticas

Cactos

quinta-feira, 13 de março de 2014

Cultura do Almeirão




O Almeirão (Cichorium intybusL.) é uma planta herbácea, de ciclo anual e que atinge ao redor de 50 centímetros de altura. Sua raiz é longa e tem formato cônico. Suas folhas são verdes, de superfície lisa recoberta de pêlos e desenvolvem-se formando uma roseta próxima ao solo. Os capítulos azuis, compostos apenas de flores liguladas, formam-se na axila das folhas. O fruto é do tipo aquênio. Toda a planta é rica em vasos laticíferos.
O Almeirão (Cichorium intybusL.) é uma planta herbácea, de ciclo anual e que atinge ao redor de 50 centímetros de altura. Sua raiz é longa e tem formato cônico. Suas folhas são verdes, de superfície lisa recoberta de pêlos e desenvolvem-se formando uma roseta próxima ao solo. Os capítulos azuis, compostos apenas de flores liguladas, formam-se na axila das folhas. O fruto é do tipo aquênio. Toda a planta é rica em vasos laticíferos.
Veja mais Família: Asteraceae (Compositae)
Espécie: Cichorium intybusL.
Nomes Populares: chicória-amarga.
Planta: Planta herbácea, produtora de látex, de ciclo anual e que atinge ao redor de 50 centímetros de altura.
Sistema radicular: Sua raiz é longa, robusta, de formato cônico e sem muitas ramificações. Caule: Ereto, ramificado e anguloso.
Folhas: Suas folhas são verdes, de superfície lisa recoberta de pêlos, formato lanceolado, sésseis, bordo denteado e desenvolvem-se formando uma roseta próxima ao solo. Flores: São liguladas e estão agrupadas em inflorescência do tipo capítulo que surge na axila das folhas, apresentam cor azul.
Fruto: É do tipo aquênio.

almeirão

O almeirão é uma espécie de chicória ou endívia, da família das Asteraceae. Cichorium intybus L. é uma Asteraceae muito semelhante à chicória de quem se diferencia por possuir folhas mais alongadas, mais estreitas, recobertas por pelos e com sabor amargo mais pronunciado (Filgueira, 2000).
Camargo (1992) descreveu como as cultivares mais cultivadas: Folha Larga, Branco e Pão-de-Açúcar. Trani & Passos (1998) incluem também uma cultivar de folha dentada denominado Catalonha entre as mais cultivadas. Segundo Hangui* as cultivares Folha Larga, Pão-de-Açúcar e Catalonha são as mais cultivadas na região de Campinas. Segundo o Instituto de Economia Agrícola e a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, publicados por Camargo & Camargo (1999), a produção, produtividade e a área cultivada da 'Catalonha' são apresentadas separadamente das de almeirão.
Segundo esses autores, as áreas cultivadas com almeirão e com 'Catalonha', no estado de São Paulo, para o ano de 1998, foram respectivamente, de 960 e 546 hectares.
Embora do ponto de vista nutricional o almeirão seja superior à alface (Khathounian, 2001) por ser mais calórico e mais rico em proteínas, amido, fibras, cálcio, ferro e vitamina A, é uma das hortaliças menos estudadas no Brasil quanto ao comportamento das cultivares mais comercializadas.
Não foi encontrado, para as condições brasileiras, trabalho de pesquisa referente a almeirão na década de noventa. Os únicos trabalhos de pesquisa para almeirão mais recentes foram os de Matsumoto & Minami (1986) e Haag & Minami (1988) que estudaram no campo o comportamento da cultivar Folha Larga quanto ao espaçamento e nutrição mineral, respectivamente.
Não se conhece estudos sobre a possibilidade do cultivo dessa hortaliça sob cultivo protegido. Por outro lado, produtores de hortaliças sob cultivo protegido, devido a preços insatisfatórios obtidos com pimentão, pepino e tomate, têm procurado alternativas com preferência às hortaliças folhosas de ciclo mais curto, como rúcula, alface, chicória, entre outras. Além disso, a rotação de culturas constitui-se em importante sistema auxiliar no controle de algumas pragas e doenças que incidem em solanáceas e cucurbitáceas. Não se tem informação na região de Campinas sobre o desempenho do almeirão cultivado sob estufa agrícola no final do inverno e começo da primavera.

almeirão: Cultivo

Uma variedade de cultivo do almeirão é a branca Cichorium Intybus L.), conhecida pelo nome de chicória amarga. É muito amarga, de modo que o mais pertinente é cortar e esvaziar a extremidade do talo, pois é ali que se acumulam principalmente os componentes amargos. É claro que isto só se faz quando se quer prescindir de tais matérias amargas, que são precisamente as que excitam o apetite e aumentam a secreção biliar.
A indicação freqüente de lavar os talos e tirar-lhes o sabor amargo com água quente pode fazer com que o amargor se torne mais Pronunciado. O melhor é lavar os talos com água fria e deixar secar. O efeito da luz também aumenta esse forte sabor que leva à perda de suavidade das folhas. Os doentes da vesícula e do fígado devem consumir tanto quanto puderem de chicória.

Almeirão: Manejo

Melhores variedades: folha-larga e branco.
Época de plantio: março - setembro; nas zonas serranas: o ano todo.
Espaçamento: 25 x 10cm.
Sementes necessárias: no mínimo 2kg/ha.
Combate à erosão: canteiros em nível.
Adubação:
por metro quadrado: 8kg de composto; 200g de superfosfato simples; 20g de cloreto potássio;
em cobertura: 75g de sulfato de amônio, aos 15, 25 e 35 dias após a germinação, para a mesma unidade de área, 1/3- em cada aplicação.
Tratos culturais: escarificação; desbaste; irrigações freqüentes, por aspersão.
Combate à moléstias e pragas: insetos Malatol 50-E a 0,20%, ou Phosdrin a 0,15%;
fungos: Dithane M-45 a 0,20%; Manzate a 0,20%.
Época de colheita: 50 dias após o plantio, continuando por um período variável.
Produçãos normal: folhas: muito variável.
Melhor rotações: repolho-de-verão sabaúna, feijão-vagem e adubos verdes.
Observações: a cultura pode dar até oito cortes sucessivos. Aplicar o nitrogênio sempre em cobertura.

ALMEIRAO: Dados

O almeirão (Chicorium intybus) é uma hortaliça da mesma família da alface e da chicória. Suas folhas são cobertas por pelos e possuem sabor amargo pronunciado.
Informações Nutricionais
100 g contêm, em média:
Macrocomponentes Glicídios (g) 4
Proteínas (g) 1
Lipídios (g) 0
Fibras alimentares (g)
Vitaminas Vitamina A1 (mg) 263
Vitamina B1 (mg) 213
Vitamina B2 (mg) 120
Vitamina B3 (mg) 0
Vitamina C (mg) 11
Minerais Sódio (mg) 82
Potássio (mg) 371
Cálcio (mg) 70
Fósforo (mg) 23
Ferro (mg) 1
Conteúdo energético (kcal) 25
Como Comprar
As hortaliças devem estar verdes, limpas e sem marcas de insetos. Em geral, as folhas são mais tenras quando estão bem novas. Evite as folhas murchas, danificadas ou amareladas. Prefira as de tamanho médio.
Como Conservar
Conserve em geladeira, embrulhado em plástico transparente, por cinco a sete dias.
Como Consumir
Depois de bem lavado e picado, pode ser consumido cru (em saladas) ou refogado, sendo comum associá-lo com outras hortaliças, como a couve e a mostarda. 

)

Curiosidades Sobre o Almeirão



O almeirão, conhecido em alguns locais como chicória amarga, é uma hortaliça do tipo folha, de sabor amargo, originária da Europa Mediterrânea. Em algumas regiões do Brasil, cresce naturalmente uma variedade chamada de almeirão do mato, muito apreciado por ter sabor menos amargo. O almeirão é uma Asteraceae, a mesma família da chicória, alface, dente-de-leão e serralha. Fornece vitaminas A, C e do complexo B, além de ser boa fonte de fósforo e ferro.
COMO COMPRAR
Escolha os maços com cuidado, sem amassá-los e sem rasgar as folhas. Deixe para comprar o almeirão por último, assim evita-se que as folhas sejam danificadas no fundo do carrinho pelas outras compras. As folhas devem estar verdes, firmes, sem sinais de murchamento e sem pontos escuros. Folhas com início de amarelecimento são velhas e não têm boa qualidade. Compre o almeirão na forma minimamente processada (ou seja, já lavado, picado e embalado) somente se o produto estiver sob refrigeração. Verifique o prazo de validade e coloque-o em geladeira logo ao chegar em casa com as compras. Os melhores preços são alcançados de julho a outubro. COMO CONSERVAR
O almeirão, como a maioria das hortaliças de folha, estraga-se rapidamente, murchando e amarelecendo depois de colhido. Por isto, compre somente o necessário para consumo imediato, e tenha sempre o produto fresco para consumo. O almeirão pode ser mantido por até três dias na geladeira. Lave e escorra bem a água das folhas e acondicione em saco de plástico próprio para alimentos ou em vasilha de plástico tampada. Em condição ambiente, as folhas devem ser mantidas com a parte de baixo numa vasilha com água, e em lugar fresco; mesmo assim a durabilidade será menor que um dia.
COMO CONSUMIR
O almeirão pode substituir hortaliças como a couve, o espinafre e a chicória, no preparo de pratos quentes ou em saladas. As folhas inteiras ou rasgadas são refogadas em óleo de cozinha ou azeite, e temperadas com sal, alho e pimenta a gosto. Também pode ser preparado com feijão, arroz, grão-de-bico, soja, lentilha e como recheio de bolinhos, tortas e sanduíches.
As folhas podem ser consumidas cruas em saladas, picadas bem fininhas e temperadas a gosto. Neste caso, lave-as antes em água corrente, deixe-as de molho por 20 minutos em 1 litro de água filtrada misturada à uma colher (sopa) de água sanitária, em seguida enxagüe em água filtrada. No lugar da água sanitária, também pode-se usar produtos específicos para higienização de hortaliças, vendidos nos supermercados na forma de pastilhas. Neste caso, siga as instruções do fabricante contidas na embalagem do produto.
DICAS
* O almeirão é um ótimo acompanhamento para carne assada, lingüiça e aves;
* O almeirão roxo, raro no mercado das cidades grandes, é menos amargo que o almeirão verde e pode ser consumido cru em saladas ou refogado;
* Temperos que combinam; azeite, cebola, alho, pimenta, vinagre, limão, cheiro-verde.

Almeirão: PLANTAS CURAM

Como a maioria dos folhosos, o almeirão também é um vegetal de baixo teor calórico.
Quanto ao valor nutritivo é um alimento muito recomendado, pois contém minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro e vitaminas A, do Complexo B (B2 e Niacina), e ainda, em menor quantidade, vitamina C.
Os minerais são importantes, pois contribuem para a formação de ossos, dentes e sangue. A vitamina A é indispensável à visão, as vitaminas do Complexo B evitam problemas de pele e auxiliam no crescimento e, a vitamina C dá resistência aos tecidos e protege o organismo contra infecções.
O almeirão deve ser consumido preferencialmente em saladas com o seguinte tempero: frite alguns dentes de alho ou fatias de toucinho em óleo suficiente para temperar a salada, misture um pouco de vinagre e sal, se desejar, e despeje sobre o almeirão.
Quando de boa qualidade, o almeirão deve apresentar folhas verdes, firmes e não muito sujas. Deve ser conservado em geladeira protegido com papel ou saco plástico, onde se conservará por 5 a 7 dias.
Seu período de safra é de agosto a janeiro.
Fornece 20 calorias em cem gramas.
 
 
Benefícios:
- Boa fonte de fósforo e ferro
- Fornece vitaminas A,C e do complexo B
O almeirão, conhecido em alguns locais como chicória amarga, é uma hortaliça do tipo folha, de sabor amargo, originária da Europa Mediterrânea. Em algumas regiões do Brasil, cresce naturalmente uma variedade chamada de almeirão do mato, muito apreciado por ter sabor menos amargo. O almeirão é uma Asteraceae, a mesma família da chicória, alface, dente-de-leão e serralha. Fornece vitaminas A, C e do complexo B, além de ser boa fonte de fósforo e ferro.
Quando for comprar almeirão escolha os maços com cuidado, sem amassá-los e sem rasgar as folhas. Deixe para comprar o almeirão por último, assim evita-se que as folhas sejam danificadas no fundo do carrinho pelas outras compras. As folhas devem estar verdes, firmes, sem sinais de murchamento e sem pontos escuros. Folhas com início de amarelecimento são velhas e não têm boa qualidade. Compre o almeirão na forma minimamente processada (ou seja, já lavado, picado e embalado) somente se o produto estiver sob refrigeração. Verifique o prazo de validade e coloque-o em geladeira logo ao chegar em casa com as compras. Os melhores preços são alcançados de julho a outubro.
O almeirão, como a maioria das hortaliças de folha, estraga-se rapidamente, murchando e amarelecendo depois de colhido. Por isto, compre somente o necessário para consumo imediato, e tenha sempre o produto fresco para consumo. O almeirão pode ser mantido por até três dias na geladeira. Lave e escorra bem a água das folhas e acondicione em saco de plástico próprio para alimentos ou em vasilha de plástico tampada. Em condição ambiente, as folhas devem ser mantidas com a parte de baixo numa vasilha com água, e em lugar fresco; mesmo assim a durabilidade será menor que um dia.
O almeirão pode substituir hortaliças como a couve, o espinafre e a chicória, no preparo de pratos quentes ou em saladas. As folhas inteiras ou rasgadas são refogadas em óleo de cozinha ou azeite, e temperadas com sal, alho e pimenta a gosto. Também pode ser preparado com feijão, arroz, grão-de-bico, soja, lentilha e como recheio de bolinhos, tortas e sanduíches.
As folhas podem ser consumidas cruas em saladas, picadas bem fininhas e temperadas a gosto. Neste caso, lave-as antes em água corrente, deixe-as de molho por 20 minutos em 1 litro de água filtrada misturada à uma colher (sopa) de água sanitária, em seguida enxágüe em água filtrada. No lugar da água sanitária, também pode-se usar produtos específicos para higienização de hortaliças, vendidos nos supermercados na forma de pastilhas. Neste caso, siga as instruções do fabricante contidas na embalagem do produto.
DICAS
- O almeirão é um ótimo acompanhamento para carne assada, lingüiça e aves;
- O almeirão roxo, raro no mercado das cidades grandes, é menos amargo que o almeirão verde e pode ser consumido cru em saladas ou refogado;
- Temperos que combinam; azeite, cebola, alho, pimenta, vinagre, limão, cheiro-verde.
Fonte: www.ufms.br


)

Caracteristicas do Almeirão



Almeirão


Benefícios:
- Boa fonte de fósforo e ferro
- Fornece vitaminas A,C e do complexo B
O almeirão, conhecido em alguns locais como chicória amarga, é uma hortaliça do tipo folha, de sabor amargo, originária da Europa Mediterrânea. Em algumas regiões do Brasil, cresce naturalmente uma variedade chamada de almeirão do mato, muito apreciado por ter sabor menos amargo. O almeirão é uma Asteraceae, a mesma família da chicória, alface, dente-de-leão e serralha. Fornece vitaminas A, C e do complexo B, além de ser boa fonte de fósforo e ferro.
Quando for comprar almeirão escolha os maços com cuidado, sem amassá-los e sem rasgar as folhas. Deixe para comprar o almeirão por último, assim evita-se que as folhas sejam danificadas no fundo do carrinho pelas outras compras. As folhas devem estar verdes, firmes, sem sinais de murchamento e sem pontos escuros. Folhas com início de amarelecimento são velhas e não têm boa qualidade. Compre o almeirão na forma minimamente processada (ou seja, já lavado, picado e embalado) somente se o produto estiver sob refrigeração. Verifique o prazo de validade e coloque-o em geladeira logo ao chegar em casa com as compras. Os melhores preços são alcançados de julho a outubro.
O almeirão, como a maioria das hortaliças de folha, estraga-se rapidamente, murchando e amarelecendo depois de colhido. Por isto, compre somente o necessário para consumo imediato, e tenha sempre o produto fresco para consumo. O almeirão pode ser mantido por até três dias na geladeira. Lave e escorra bem a água das folhas e acondicione em saco de plástico próprio para alimentos ou em vasilha de plástico tampada. Em condição ambiente, as folhas devem ser mantidas com a parte de baixo numa vasilha com água, e em lugar fresco; mesmo assim a durabilidade será menor que um dia.
O almeirão pode substituir hortaliças como a couve, o espinafre e a chicória, no preparo de pratos quentes ou em saladas. As folhas inteiras ou rasgadas são refogadas em óleo de cozinha ou azeite, e temperadas com sal, alho e pimenta a gosto. Também pode ser preparado com feijão, arroz, grão-de-bico, soja, lentilha e como recheio de bolinhos, tortas e sanduíches.
As folhas podem ser consumidas cruas em saladas, picadas bem fininhas e temperadas a gosto. Neste caso, lave-as antes em água corrente, deixe-as de molho por 20 minutos em 1 litro de água filtrada misturada à uma colher (sopa) de água sanitária, em seguida enxágüe em água filtrada. No lugar da água sanitária, também pode-se usar produtos específicos para higienização de hortaliças, vendidos nos supermercados na forma de pastilhas. Neste caso, siga as instruções do fabricante contidas na embalagem do produto.
DICAS
- O almeirão é um ótimo acompanhamento para carne assada, lingüiça e aves;
- O almeirão roxo, raro no mercado das cidades grandes, é menos amargo que o almeirão verde e pode ser consumido cru em saladas ou refogado;
- Temperos que combinam; azeite, cebola, alho, pimenta, vinagre, limão, cheiro-verde.

ALMEIRÃO: Plantas Que Curam.

 
Originário da Europa o almeirão é cultivado em todo o mundo, tanto para a alimentação humana, como de animais. Embora pertença à mesma família da chicória comum, elas são plantas que diferem na forma, no sabor e na quantidade das propriedades. O almeirão tem folha lisa, comprida e estreita, de cor verde. "A confusão é que no nordeste a chicória e o almeirão são consideradas as mesmas verduras. Já no sudeste, são diferentes", explica Vanderli Marchiori, nutricionista, fitoterapeuta e diretora da Associação Paulista de Nutrição.

O almeirão é fonte de vitamias E e A, ferro, muita fibra e pequena quantidade de cálcio. Além de ácido fólico, "muito útil para mulher na idade fértil e durante a gestação, pois auxilia na boa formação do tubo neural do bebê", afirma a nutricionista.

Essa verdura é usada em tratamentos do fígado, vesícula biliar e baço, pois ajuda a liberar o excesso de gordura, fumo e álcool. "Ele estimula a função hepática, principalmente a desintoxicação do fígado feita pelo componente que dá o sabor amargo", afirma. Como a icterícia é provocada pelo mal funcionamento do fígado, a verdura também é recomendada no processo de cura dessa doença.

Outro papel funcional do almeirão é em relação ao colesterol. "O consumo frequente auxilia na diminuição das taxas de colesterol. Isso já comprovado com a chicória", diz. "Como a grande maioria das verduras, o almeirão melhora o movimento intestinal. É bom pra quem tem prisão de ventre", completa.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Receitas Com Almeirão

Receita de salada colorida de legumes
Ingredientes:
1 unidade(s) de cenoura ralada(s)
2 unidade(s) de jiló ralado(s)
1 unidade(s) de cebola ralada(s)
1 unidade(s) de beterraba ralada(s)
1 unidade(s) de rabanete ralado(s)
1 folha(s) de repolho picada(s)
1 unidade(s) de pepino japonês picado(s)
3 folha(s) de alface crespa picada(s)
2 folha(s) de acelga picada(s)
quanto baste de vinagre branco
quanto baste de sal
quanto baste de pimenta-do-reino branca
3 folha(s) de almeirão picada(s)



Preparação:

Etapa 1: Misture tudo e tempere a gosto.
Ótima salada para acompanhar churrasco ou cervejada.

Tipo de receita: Entrada
Número de doses: 6 porções
Tempo de Preparação: 5 Minutos
Tempo de Confecção/Cozedura: 10 Minutos
Pronto em: 15 Minutos
Dificuldade: Fácil



Salada de Almeirão no Capricho!
Ingredientes:
2 xíc. (chá) de almeirão lavado e picado1 xíc. (chá) de couve lavada e e picada bem fininha6 fatias de peito de peru9 ovinhos de codorna em conserva2 tomate secos em conserva (4 partes)Molho para salada de sua preferência ou apenas, sal, azeite e limão
Modo de preparo:

Em um prato grande e raso, espalhe o almeirão picado, corte a fatia do peito de peru ao meio, faça rolinhos, distribua sobre o almeirão, fazendo o formato de um círculo, no centro do disco de peito de peru, coloque a couve picadinha e por cima da couve os tomates secos, acrescente os ovinhos de codorna, nas laterais do prato em cima do almeirão, e sirva com o molho de salada de sua preferência ou sal, azeite e limão.

Dica: Para tirar boa parte do amargo do almeirão, depois de picado eu cubro ele com água e escorro, pelo menos duas vezes, depois deixo escorrer bem a água para montar o prato!


Você já comeu almeirão?


Da família da alface, chicória, dente-de-leão e serralha, o almeirão é uma verdura muito nutritiva, possui Cálcio, Fósforo, Ferro, vitaminas A, do Complexo B (B2 e Niacina), e vitamina C. Por um certo amargor, o almeirão é muito parecido com a chicória, diferenciando-se apenas por possuir folhas mais alongadas, estreitas e recobertas por pêlos.



Pode ser consumida no preparo de saladas e pratos quentes, substituindo a couve, o espinafre e a chicória. Deve-se lavar e escorrer bem as folhas do almeirão antes de consumi-las. Mesmo com todo seu valor nutritivo, o almeirão ainda não é muito comum na mesa do brasileiro, o que é uma pena, porque quanto mais variedade, mais qualidade.



Por isso, lembrem-se sempre de diversificar nas compras. Nunca repita a compra de um alimento logo na compra seguinte.



Se levou espinafre da última vez, leve chicória dessa e almeirão da próxima. O Brasil é um dos países com maior diversidade em oferta de alimentos, façamos jus a essa bênção de Deus aproveitando ao máximo os alimentos que nossa terra nos dá.


Salada de Feijão Jalo com Almeirão (vegana)

Ingredientes

1 xícara de feijão jalo

1 pé de almeirão

3 dentes de alho

7 colheres (sopa) de azeite de oliva

Sal a gosto

Preparo

Limpe o feijão, lave-o e coloque em uma panela de pressão. Junte 1/2 litro de água e tampe a panela. Leve ao fogo e cozinhe por 20 minutos ou até o feijão ficar macio. Não deixe os grãos desmancharem. Retire do fogo, tire a pressão da panela e abra-a. Escorra o feijão em uma peneira e reserve. Separe as folhas de almeirão, limpe-as e lave-a uma a uma. Seque-as com toalha de papel e corte-as em tiras finas. Reserve.

Coloque o feijão em uma tigela e reserve. Descasque os dentes de alho e corte em tiras finas. Coloque o azeite de oliva em uma frigideira e leve ao fogo por 1 minuto. Junte o alho e frite-o, sem parar de mexer, por 1 minuto ou até dourar. Incorpore as folhas de almeirão e refogue, mexendo cuidadosamente, por 1 minuto ou até o almeirão ficar macio, mas al dente. Acerte o sal e retire do fogo. Despeje sobre o feijão e sirva ainda quente.

Rendimento: 5 porções

Manjubinhas com almeirão e laranja


Nem carece de receita - tudo muito simples:
- Almeirão refogado com alho, cebola e shiitake. O almeirão é uma das minhas verduras preferidas - adoro verduras amargas! Além do mais ele é ótimo para o fígado e também auxilia na diminuição das taxas de colesterol.
- Manjubinhas levemente empanadas no amido de milho, com um toque de sumo de limão. Estavam derretendo na boca..... hummmmm..... delícia!
- Fatias de laranja pera, polvilhadas com partículas de laranja e furikake de shiso. Muito suculentas, com muito caldo, geladinhas, dispensaram até o suco!



Almeirão com Sobras de Arroz (vegana)


Ingredientes

1/2 maço de almeirão

1/2 cebola picada
1 dente de alho
2 xícaras de arroz cozido
1 e 1/2 colher (sopa) de óleo

Preparo

Escolha e lave bem o almeirão, pique fininho e cozinhe em água e sal por 10 minutos. Escorra bem, esprema para sair toda a água. Frite a cebola e o alho no óleo. Junte o almeirão e deixe refogar por 5 minutos. Junte em seguida o arroz cozido e mexa com um garfo para ficar bem soltinho.

Dica

O almeirão pode ser substituído por espinafre, couve, acelga, etc.

FONTE: SESC

segunda-feira, 10 de março de 2014

Ervas Aromáticas Dentro de Casa


plantas de vaso
Jardineira de ervas aromáticas
É muito fácil montar uma jardineira de ervas aromáticas e ter sempre à mão temperos fresquinhos e deliciosas ervas para chá.
Vamos lá! Você vai precisar de:
· 1 vaso grande ou, de preferência, uma jardineira (as de plástico são mais leves);
· seixos rolados;
· terra;
· húmus de minhoca ou torta de mamona;
· mudas de ervas de boa procedência

Regra nº 1. O jardim é seu. Use os vasos que quiser ou que tiver. Os vasos de barro são fáceis de encontrar, em diversos tamanhos e formatos, com preços acessíveis. Os vasos de plástico ou de cimento também podem ser utilizados, sempre de acordo com o seu gosto. Observe que o vaso deve ser do tamanho suficiente para receber as plantas, e ter drenos suficientes para que o excesso de água possa sair.

Regra nº 2. Muito poucas plantas não se dão bem em vasos. Isto inclui, obviamente as árvores e plantas de grande porte. Não se limite a usar, nos arranjos, plantas comuns. Experimente. Misturar diversos tipos de plantas num mesmo vaso pode trazer um resultado decorativo muito interessante. Flores, folhagens e plantas ornamentais podem ser combinadas à vontade, bastando observar algumas de suas características básicas, com quantidade de água e de iluminação que cada uma requer. Plante nos mesmos vasos as que têm características semelhantes.

Regra nº 3Depois que plantar as plantas nos vasos, não deixe de cuidá-las sempre. Periodicamente adube os vasos, garanta a rega na freqüência adequada, verifique sua posição em relação ao sol da manhã ou da tarde. Estes cuidados básicos devem ser complementados com a limpeza e com a observação de eventuais pragas. Mudar a posição dos vasos entre si também pode trazer melhores resultados no desenvolvimento conjunto das plantas.

Regra nº 4Os vasos podem ser colocados juntos, pois agradam muito mais assim do que separadamente. Novos vasos podem ser incluídos no seu jardim, mudando seu aspecto geral e fornecendo novas combinações, de acordo com as estações do ano e com sua vontade. Se desejar, substitua as plantas do vaso que já não apresentem um bom aspecto, por outras novas.
Regra nº 5. Plante plantas perenes, mas combine-as com plantas de estação. Apesar de dar um pouco mais de trabalho, é uma alternativa interessante, já que você estará renovando seu jardim com novas flores, por exemplo. Para facilitar a manutenção, você pode plantar cada tipo de planta em seu respectivo vaso e combinar os vasos entre si.
Cuidados:
· As ervas precisam de luz solar, pelo menos algumas horas por dia. Sem isso, é praticamente impossível cultivá-las.
· Mantenha regas regulares, mas nunca encharque a terra.
· Retire folhas velhas, amareladas e secas e verifique periodicamente se não há ataques de pragas. Nesses casos, evite produtos químicos e use apenas inseticidas naturais (calda de fumo, calda de sabão, etc.), pois as ervas serão utilizadas como tempero e no preparo de chás.
· Adube a cada 3 meses, com húmus de minhoca e torta de mamona.
· Na hora se escolher as ervas, procure selecioná-las segundo as exigências de luminosidade. Lembre-se que elas estarão no mesmo vaso.
Para facilitar, aqui vão algumas sugestões:
Alecrim
O alecrim (Rosmarinus officinalis) é uma planta semi-arbustiva, delicada e que ainda deixa o ambiente com um perfume muito especial. Na cozinha, é usado para temperar carnes em geral, legumes e até dar um sabor diferente a omeletes. Cresce bem em ambientes muito ensolarados, e o solo relativamente pobre em vez de prejudicá lo, deixa a planta mais densa e com perfume acentuado. Por isso, você pode plantar sua mudinha em vasinhos com 20 cm de diâmetro, usando terra comum de jardim. Para obter novas mudas, é só lascar um galho e plantar em solo úmido. 
Cebolinha verde
A cebolinha (Allium schoenoprasum) é uma planta bulbosa do mesmo gênero do alho e da cebola. Suas folhas formam um tubinho oco e têm um aroma suave de cebola, bastante apreciado em inúmeras receitas. Pode ser semeada em pequenos vasos de barro, mas se você quiser ter esse tempero mais rapidamente, uma solução prática é aproveitar as mudinhas que são vendidas na feira. Para isso, quando comprar cebolinha, corte as folhas para uso e plante os toquinhos, com um pouco da raiz. Em pouco tempo, as mudas vão soltar brotos vigorosos e perfumados. Ao plantar, não esqueça que a cebolinha gosta de solo fértil, rico em matéria orgânica.

Coentro
Conhecido também como salsa chinesa, o coentro (Coriandrum sativum) tem as folhas parecidas com as da salsa, mas seu sabor é bem diferente, mais próximo ao do limão. Suas folhas são usadas em inúmeros pratos à base de peixe, as sementes em conservas e o coentro em pó para aromatizar massa de pães e carnes assadas. Pode ser cultivado facilmente a partir de sementes, em vasos com solo rico em matéria orgânica, sempre em locais com bastante sol
Hortelã
Você pode escolher entre várias espécies de hortelã, mas as mais comuns são a Mentha crispa, com folhas verdes escuras e crespas, e a Mentha Spicata, num tom de verde mais claro e com folhas lisas. Todas são viçosas e perfumadas e usadas para temperar quibes, saladas, carnes de peixe e carneiro, aromatizar sucos e sobremesas, como sorvetes, pudins e gelatinas. Crescem bem em ambientes ensolarados, mas toleram bem um leve sombreado. No início da primavera, renove a terra dos vasos e aproveite para desfazer o emaranhado das raízes e podá-las, se for necessário. Esta época é boa também para se fazerem novas mudas, através de estacas de galhos.
Manjericão
Há várias espécies, com folhas mais largas ou delicadas, todas da família dos Ocimum. O manjericão é conhecido também como alfavaca e basílico, e suas folhinhas são usadas em peixes, carnes e molhos. Pode atingir de 40 a 60 cm. de altura, por isso deve ser plantado em um vasinho de uns 20 cm de diâmetro. Necessita de bastante sol e, se começar a crescer muito, você deve podar alguns ramos para ativar novas brotações e obter uma plantinha mais cheia. Faça novas mudas por estacas de galhos, mas se preferir sementeiras, aproveite as resultantes da floração, que ocorre na primavera e no verão.
Orégano
Conhecido também como orégão, o Origanum virens é uma erva originária do Mediterrâneo, muito usada em peixes, carnes, saladas, molhos e suco de tomate. Gosta de ambientes ensolarados e solo leve e arenoso, com boa drenagem. As folhas e pontas de galhos podem ser cortadas para serem usadas fresquinhas, e logo vão surgir novos brotos, que vão deixar a plantinha ainda mais densa e decorativa. Não se esqueça de renovar o solo do vaso anualmente, com uma mistura nova e nutritiva.
Salsa
Originária da Europa, a salsa ou salsinha (Petroselinum sativum) é uma plantinha simpática, com folhas bipartidas ou crespas, mas sempre muito aromática. É bastante popular no Brasil e entra na composição de inúmeras receitas salgadas, como carnes, sopas, bolos e saladas. Seu cultivo é muito simples: basta semear num pequeno vaso e deixar junto a uma janela iluminada. Em pouco tempo, você terá uma linda plantinha e ramos fresquinhos para dar um sabor todo especial às suas receitas.
Salvia
Em vasos, a sálvia (Salvia officinalis) chega a atingir 30 ou 40 cm de altura, sempre bonita com suas folhas alongadas e meio cinzas. É usado para temperar peixes, carnes, queijo fundido e em cozidos, substituindo o louro. Exige muito sol e pode ser multiplicada facilmente através de estacas de galhos.
Tomilho
Conhecido também como timo (Thymus vulgaris), pode ser salpicado em qualquer prato à base de peixe, esfregado em carnes, antes de levá las ao forno, e misturado em queijos e requeijões. Atinge de 10 a 30 cm de altura, e tem os ramos aveludados, que normalmente só começam a ser colhidos depois que a planta atinge dois anos. Para crescer bem, necessita de bastante sol e de um solo leve e arenoso.



Cultura Do Alecrim


ALECRIM 

Rosmarinus officinalis Linn.

É um arbusto perene de pequeno porte, ramoso, sempre verde, que pode atingir de 1 a 2 metros de altura, dependendo da forma de cultivo. É originário da Região do Mediterrâneo (Sul da Europa e Norte da África) e pertencente à família Labiatae (Lamiaceae) (PANIZZA, 1997; MATOS, 1998). O alecrim é conhecido também por “rosa-do-mar”, rosemary, romero, alecrim-rosmarinho, alecrim-da-horta, alecrim-de-jardim, alecrim-verdadeiro, alecrim-do-Sul, libanotis (PANIZZA, 1997; MATOS, 1998). Apresenta caule lenhoso e muito ramificado, folhas duras (coriáceas), opostas, lineares, finas como um palito, sésseis, persistentes e numerosas, com bordas enroladas para dentro ao longo da nervura central, de sabor picante. Possuem a face superior de suas folhas de cor verde-acinzentada e rugosa e as inferiores brilhantes, esbranquiçadas e com pêlos. Suas flores são hermafroditas e formam pequenos cachos na parte final dos ramos e possuem coloração azul-violeta, rosada ou branca (PANIZZA, 1997). Contêm em suas folhas e flores óleo essencial (pineno, canfeno, borneol, cineol, acetato-de-bornila e cânfora), diterpeno (rosmaricina), taninos, colina, saponina ácida, ácido rosmarínico, pigmentos, flavonóides (PANIZZA, 1997; SARTÓRIO et al., 2000). 

Tem um forte odor canforáceo e são utilizadas como incenso para perfumar a casa (PANIZZA, 1997). É indicado como anti-séptico, antiespasmódico, diurético, antimicrobiano, problemas respiratórios, distúrbios menstruais, entre outros (FURLAN, 1998; SARTÓRIO et al., 2000).

Cultivares: as próprias espécies botânicas. 



Propagação: reprodução se da através de sementes ou estacas de galhos (estacas de 10 a 15 cm). As mudas provenientes de estacas dos galhos devem ser feitas em ambiente protegido com adequado controle de irrigação para que a taxa de pegamento das estacas seja elevado.

Época de plantio: ano todo quando se tem sistema de irrigação implantado. Espaçamento: 0,6 x 0,4 m. 
Mudas necessárias42.000 mudas. 
Calagem e adubação: o alecrim não tolera excesso de umidade e de matéria orgânica (prejudica a concentração de óleo essencial) (SARTÓRIO et al., 2000). Desenvolve-se melhor em solos com calcário e bem-drenados; corrigir a acidez do solo elevando o pH igual ou superior a 7,0. Antes do plantio, aplicar de 30 a 50 t ha-1de M.O. Aplicar no plantio 60 a 80 kg ha-1de N e, dependendo da análise de solo, 60 a 80 kg ha-1de P2O5 e 80 a 100 kg ha-1de K2O. Repetir a adubação anualmente. 
Outros tratos culturais: capinas. 
Controle de pragas e doenças: eventualmente, controle de formigas cortadeiras e de brocas em plantas novas. 


Colheita: O primeiro corte é realizado 6 meses após o plantio. A altura de corte ideal é de 20 cm acima do solo para que rebrote. Lavouras bem manejadas permitem 4 a 6 colheitas/ano. 

Produtividade normal: 1,6 a 2,4 t folhas secas ha-1 por ano (SARTÓRIO et al., 2000); 8-10 t matéria fresca ha-1 por ano; 40-60 kg de óleo essencial por ano. 
Rotação: leguminosas ou outra espécie não gramínea.

Curiosidades Sobre O Alecrim (Rosmarinus Officinalis)


Alecrim 

(Rosmarinus Officinalis)
Planeta: Sol.
Origem: Sua origem remonta às praias do Mediterrâneo (o nome rosmarinus vem do latino que significa "o orvalho que vem do mar", devido ao cheiro das flores vegetando à beira mar). Carlos Magno obrigava os camponeses a cultivá-lo. Foi companheiro dos portugueses nas Entradas e Bandeiras. Antigamente queimava-se caules de alecrim para purificar o ar do quarto de doentes em hospitais.
Partes usadas: Folhas e flores.
Lendas e Mitos: Conta-se que numa viagem Nossa Senhora sentou-se à sombra de um alecrim para dar de mamar ao menino Jesus: por isso acredita-se que a planta nunca atinja altura superior à de Jesus adulto. Outro conto diz que a Bela Adormecida foi acordada pelo príncipe com um ramo de alecrim.Os gregos usavam coroas de alecrim em festas, como símbolo da imortalidade. A crendice popular usa o alecrim para afastar olho gordo, erva da juventude eterna, do amor, amizade e alegria de viver. Erva colocada debaixo do travesseiro afasta maus sonhos. Tocar com alecrim na pessoa amada faz ter seu amor para sempre.
Características e Cultivo: Arbusto rústico e persistente, atinge até 2 metros de altura, com folhas resinosas, coriáceas, lineares e verde-escuras. O caule, quadrado, torna-se lenhoso à partir do segundo ano. Locais ensolarados, companheira da sálvia, brócoli e couve, atrai abelhas e repele moscas da cenoura. Solo drenado e permeável, vai bem mesmo nos pedregosos
Originário do Mediterrâneo, o alecrim sempre foi muito apreciado por suas virtudes aromáticas e medicinais. Emblema do amor e símbolo da saudade, o alecrim é considerado uma planta mágica contra mau-olhado. Na Igreja Ortodoxa, até hoje se utiliza seu óleo para unção.
Uso na culinária 

Um raminho ou broto de alecrim confere aroma delicioso a vários pratos, principalmente em carnes e aves em geral, entrando também na composição de molhos, omeletes, sopas e cozidos. É indicado também no preparo do churrasco, sendo suas folhas espalhadas sobre as brasas para perfumar a carne. Pode ser encontrado fresco ou seco.
Os italianos não abrem mão dessa erva, muito apreciada para dar sabor ao carneiro, ao cabrito e ao vitelo. Na Toscana, consome-se na Páscoa o Pane di Rosmarino, feito de massa branca, levemente adocicada, acrescida de uvas passas, molho de azeite e alecrim, com cobertura de açúcar. Na Provença, sul da França, é usado ainda para o tempero de peixes. É, aliás, uma das três ervas básicas da região. As outras são o tomilho e a segurelha.
Receitas rápidas


  • Para uma preparação muito saborosa e com poucas calorias, coloque numa tigela ricota, alecrim e um pouco de azeite de oliva. Misture bem até obter uma pasta. Tempere filés de salmão com sal, pincele azeite e recheie com a pasta. Enrole os filés e feche com palitos. Coloque-os numa assadeira e leve ao forno médio até assar.
  • Corte batatas em bastões (como se fosse para fritar) e prepare-as no forno polvilhadas com alecrim, regadas com azeite de oliva e temperadas com pouco sal. Vire-as durante o cozimento.
  • Use alecrim para preparar legumes no forno. Cozinhe os legumes previamente (deixando-os ainda firmes), distribua-os numa assadeira, regue com azeite de oliva e polvilhe com alecrim.