sexta-feira, 24 de julho de 2015

Cultura do Alface


APRESENTAMOS DOIS SLIDES SOBRE A CULTURA DO ALFACE, SUGERIMOS CLICAR NAS DUAS SETINHAS DO SLIDE PARA VISUALIZARES EM TELA CHEIA.
A alface é uma cultura plantada e consumida em todo o território brasileiro, mesmo com as diferenças climáticas e os hábitos de consumo. Por esta razão, é uma das hortaliças mais cultivadas em hortas domésticas. Como sua vida pós-colheita é curta, normalmente as zonas produtoras concentram-se perto de áreas metropolitanas, os chamados “cinturões-verdes”. Durante o inverno nas regiões Sul e Sudeste são cultivados alfaces importadas adaptadas ao clima mais frio, enquanto nas demais regiões predominam as alfaces de verão. De um modo geral, as cultivares de verão tendem a apresentar atributos de qualidade inferiores, como um número menor de folhas e cabeças menos compactadas. Como a alface é originária de regiões de clima temperado, existe uma dificuldade adicional em se desenvolver novas cultivares para climas tropicais.
A alface é uma cultura que pode ser plantada o ano todo, dependendo da cultivar, sendo as folhas o produto consumido. O espaçamento mais recomendado é o de 25-35 x 30-40 cm. São necessários 4 kg de semente para se plantar um hectare. A alface deve ser semeada (em uma profundidade de 1 cm) em bandejas ou em sementeiras, e transplantado para o campo por volta de 20 a 30 dias (ou quando as alfaces tiverem com 4-6 folhas), ou semeadura direta. Sua exposição ao sol é boa, sendo que sua germinação varia entre 3 a 14 dias e podendo ser plantado o ano todo, pois existem variedades para todas as épocas.

Semeadura em bandeja
Tipos de Alface 
Há tipos de alface cultivados no Brasil como: cultivo convencional e o sistema orgânico em campo aberto; o cultivo protegido no sistema hidropônico e no solo. O cultivo de alface a campo no sistema tradicional é o mais importante em termos de área e de produção, concentrando-se geralmente perto dos grandes centros urbanos. O cultivado a campo aberto no sistema orgânico, seguindo os preceitos básicos de uso de adubação orgânica, como compostos e adubos verdes, e manejo de doenças, insetos, artrópodes e plantas espontâneas de acordo com as normas preconizadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) ou de certificadoras. O cultivo protegido de hortaliças pode ser feito em casas-de-vegetação ou em telados, de acordo com o tipo de exploração agrícola e, principalmente, condição climática prevalecente na região. O cultivo hidropônico de alface que teve um notável desenvolvimento no Brasil nestes últimos dez anos. Em geral, é feito em casas-de-vegetação de plástico ou telados, de vários tipos e dimensões, de acordo com o clima de cada região.

Plantio campo

Hidroponia


Estufa


Plantio estufa
Nos últimos anos, o consumidor brasileiro tem tido mais acesso a informação e por isto tem demandado produtos mais diversificados. No Brasil, as alfaces mais conhecidas e consumidas são as crespas e as lisas, algumas das quais foram melhoradas para o cultivo de verão ou adaptadas para regiões tropicais, com temperaturas e pluviosidade elevadas, mas nos últimos anos também aparecerem cultivares roxas e com as folhas frisadas.
As cultivares de alface atualmente disponíveis no mercado brasileiro de sementes podem ser agrupadas em cinco tipos morfológicos principais, com base na formação de cabeça e tipo de folhas:
  1. Repolhuda Lisa: apresenta folhas lisas, delicadas e macias, com nervuras pouco salientes, com aspecto oleoso (“manteiga”), formando uma cabeça típica e compacta.
  2. Repolhuda Crespa ou Americana: folhas crespas, consistentes e crocantes, cabeça grande e bem compacta.
  3. Solta Lisa: folhas lisas e soltas, relativamente delicadas, sem formação de cabeça.
  4. Solta Crespa: folhas grandes e crespas, textura macia, mas consistente, sem formação de cabeça; pode ter coloração verde ou roxa.
  5. Tipo Romana: folhas tipicamente alongadas, duras, com nervuras claras, com uma cabeça fofa e alongada, na forma de cone
Americana
Crespa Roxa
Crespa Verde
Lisa solta
Mimosa
Repolhuda lisa
Romana
Solo
A calagem deve ser realizada 30 dias antes do plantio, se necessário. Coloca-se 80 toneladas de esterco de curral, ¼ dessas quantidades de esterco de galinha curtido, misturando com a terra do canteiro. No plantio deve-se colocar 40 kg/ha de nitrogênio, 300 kg/ha de fósforo, 150 kg/ha de potássio e 1 kg/ha de Boro. Em cobertura, fazer três aplicações de 30 kg/ha de nitrogênio, aos 15, 30 e 45 dias após a germinação (semeadura direta). No sistema transplante de mudas, aplicar as três parcelas de nitrogênio, decorridos 10, 20 e 30 dias após o transplante. Os solos devem estar bem frescos e bem drenados com texturas franca ou argilosa, ricos em matéria orgânica bem decomposta. Com pH 6,5 – 7,2.
Deficiencia de calcio
Pragas que atacam a alface
As principais pragas que atacam a alface são: pulgão, lagarta minadora e tesourinha. Utilizar os seguintes produtos para controle: carbaryl, dimethoate, malathion, etc.
Lagartas
Pulgão
Doenças que atacam a alface
As principais doenças que atacam a alface são: septoriose, cercosporiose, tombamento, podridão de Sclerotinia, podridão da saia, míldio, mancha bacteriana, vírus do mosaico. Os produtos usados para controle: captan, folget, iprodione, oxicloreto de cobre, etc….
Cercosporiose
Podridão
Colheita
A colheita é realizada entre 50 e 80 dias após a semeadura, dependendo do clima e cultivar. A alface produz normalmente de 100.000 a 120.000 plantas/ha em campo.


Dicas
  • Não pulverize com inseticidas perto da comercialização.
  • Faça a rotação com repolho, cenoura, couve-flor, beterraba e feijão-vagem. E evitar cultivos sucessivos de alface na área a fim de reduzir a ocorrência de doença.
  • Cultivares: lisa (verão e inverno), crespa (verão e inverno), crespa repolhuda (verão e inverno).
  • A irrigação deve ser freqüente, por infiltração ou por aspersão, caso não tenha um manejo de irrigação fazer a irrigação pela manhã ou final da tarde.
  • Os canteiros devem ser preparados de acordo com o sistema de irrigação a ser utilizado.
  • Cuidado na aplicação de água: água em excesso pode matar a planta, porém os canteiros devem ser mantidos sempre úmidos.
  • Tratos culturais: cobertura morta, fazer desbaste deixando apenas 1 planta por cova. Controlar plantas daninhas, herbicidas registrados: fenoxapropetil, fluazifop-butil e glufosinato de amônio.
  • Plantar plantas aromáticas como arruda e/ou catinga de mulata em vários pontos da horta para afugentar insetos.
  • A alface é rico em vitamina A, B, C contem também minerais, como o cálcio, ferro, sódio, cobre, zinco. Magnésio e potássio.
  • O seu uso: em fresco nas saladas ou cozinhada em sopas e em outros pratos. Devem-se consumir as folhas mais verdes e escuras, pois estas contem mais nutrientes. A nível medicinal, a alface tem atividade sedativa, calmante.


2 comentários: