quarta-feira, 12 de agosto de 2015

CALENDULA (Calêndula, bonina, malmequer amarelo)



CALENDULA


Nome Técnico:
Calendula officinalis L.


Nomes Populares :
Calêndula, bonina, malmequer amarelo


Família :
Família Asteraceae


Origem:
Originária das Ilhas Canárias e zona do Mediterrâneo.


Descrição:
Planta herbácea de folhas pilosas, dispostas em roseta.
As folhas são de cor verde-clara e com forte odor.

Seu ciclo é de poucos meses, sendo considerada anual de verão.
Suas flores são em grandes capítulos em laranja ou amarelo com a parte central em tom marrom-avermelhado.

Suas pétalas são comestíveis e toda a planta é considerada medicinal.
Para cultivos em climas quentes.


Modo de Cultivo :
Em local ensolarado, solo bem preparado com composto orgânico e bem drenado.


Paisagismo:
Podemos compor com elas grandes berços em canteiros, usá-las como bordadura ou então, como esta nossa sugestão, de preenchimento de espaço, adicionando a nota viva de suas flores.

Propiedades Medicinais


A calêndula (Calendula officinalis) é uma erva medicinal também conhecida popularmente como margaridam. Pertence a família Asteraceae.

Usos tradicionais: acne, assaduras, candidíase, cervicite, catapora, caxumba, conjuntivite, dermatites, dores de ouvido, eczemas, feridas, hemorróidas, herpes, inchaço glandular, infecções, inflamações, micoses, psoríase, queimaduras do sol, sarampo, sinusite, úlceras, verrugas.
Propriedades Medicinais: adstringente, antibacteriano, antifúngico, anti-inflamatório, anti-séptico, antiespasmódico, cicatrizante, diaforético, sedativo, vulnerário.

Benefícios da calêndula

Dentre as propriedades medicinais da calêndula, se destaca o o fato da planta aumentar a circulação periférica. É usada na medicina popular para o tratamento de infecções que perduram por maior tempo no corpo. Um ditado antigo diz que “onde a calêndula age, nenhum pus se formará”. A calêndula é muito utilizada na indústria cosmética em shampoos, cremes e loções para a pele. A calêndula auxilia na reparação e cicatrização de feridas, sendo ainda utilizada em manchas na pele, eczemas, erupções cutâneas e em outras lesões da pele.
Calendula officinalis é composta de saponinas, caretonoides, flavonóides, mucilagem, princípio amargo, fitoesteróis e resina de polissacarídeo. Tais princípios ativos proporcionam benefícios para inúmeros problemas de pele, incluindo acne, dermatites, psoríase, rachaduras na pele, verrugas, candidíase, assaduras, queimaduras de sol, brotoeja e micoses.
A flor da calêndula é usada em forma de cataplasma ou unta para curar feridas e picadas de inseto. As flores também são aplicadas na pele para nutrição e hidratação, além de possuirem propriedades anti-inflamatórias. É usada em forma de lavagem nasal para infecções no nariz. O óleo de calêndula é utilizada para tratar dores de ouvido. A erva de banho trata hemorroidas.
Contraindicações e efeitos colaterais da calêndula
O uso interno en doses elevadas não é indicado, podendo causar falta de apetite, náuseas e vômitos.
História e curiosidades
Calendula officinalis é uma planta herbácea anual, originaria da região Mediterrânea. O nome da flor é derivado de calend, que significa o primeiro dia de todo mês, vez que a calêndula se abre com as elevações do sol e pode ser encontrada em algumas partes do mundo florescendo todos os meses. No século XII, acreditava-se que apenas olhar para a Calêndula melhoraria a visão.
Planta Medicinal do SUS
Calendula officinalis faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil. A finalidade da RENISUS é subsidiar o desenvolvimento de toda cadeia produtiva relacionada à regulamentação, cultivo/manejo, produção, comercialização e dispensação de plantas medicinais e fitoterápicos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário