sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Cultivo da Beldroega


A beldroega (Portulaca oleracea, também denominada beldroega-comum, beldroega-das-hortas e verdolaga, é uma planta de origem incerta que atualmente cresce espontaneamente em grande parte do mundo. Suas folhas suculentas e seus ramos podem ser consumidos crus em saladas ou em pratos cozidos, refogados ou assados. É apreciada em sopas por ter propriedades mucilaginosas, agindo assim como um espessante. Também é usada como erva medicinal.
Os ramos e folhas são muito nutritivos, sendo a verdura mais rica em ácidos graxos ômega-3 que se tem conhecimento. No entanto, também contêm ácido oxálico e assim não deve ser consumida em grande quantidade. O sabor da beldroega é acidulado, mas este pode variar com as condições de cultivo e a hora em que os ramos são colhidos. Em condições de baixa disponibilidade de água e/ou altas temperaturas, a beldroega muda suas vias metabólicas normais para o metabolismo ácido das crassuláceas, que consiste basicamente em absorver o dióxido de carbono durante a noite e armazená-lo como ácido málico até a incidência da luz solar durante o dia, quando o ácido málico vai sendo metabolizado em glicose. Desta forma, plantas crescendo nestas condições apresentam um sabor mais ácido se colhidas no início da manhã e menos ácido se colhidas no fim da tarde.
As sementes também podem ser consumidas cruas ou cozidas, mas são muito pequenas. As sementes também podem ser moídas e adicionadas a uma farinha de cereal.
Há várias variedades naturais e cultivadas de beldroega, incluindo cultivares que são utilizados como plantas ornamentais.

A beldroega tem sido cultivada por alguns milhares de anos 

Clima

Esta é uma planta adaptada a diversas condições climáticas, crescendo bem na faixa de temperatura que vai de 15°C a 35°C. Não suporta temperaturas muito baixas e geadas.

Luminosidade

Necessita de iluminação solar direta.

A beldroega pode ser encontrada crescendo espontaneamente em muitos lugares. No entanto, na maioria das vezes as plantas cultivadas em condições adequadas têm melhor sabor e melhor aparência que as plantas que crescem naturalmente

Solo

Pode ser cultivada em qualquer tipo de solo, mesmo solos pesados e compactados. Porém, o ideal é um solo bem drenado, leve, profundo, fértil, rico em matéria orgânica, com pH entre 5,5 e 7.

Irrigação

Irrigue de forma a manter o solo sempre úmido, sem que fique encharcado. Quando bem desenvolvida pode suportar períodos de seca, mas os ramos e as folhas terão melhor qualidade e sabor se não faltar água.

As sementes da beldroega são pequenas, mas cada planta pode produzir um grande número delas

Plantio

O plantio é feito por sementes. Semeie no local definitivo da horta ou em sementeiras, saquinhos para mudas ou copinhos de papel, transplantando quando as mudas tiverem de 4 a 6 folhas verdadeiras. As sementes devem ser cobertas apenas por uma leve camada de terra peneirada ou de serragem fina.
O espaçamento recomendado varia de 30 a 80 cm entre as linhas de plantio e de 25 a 40 cm entre as plantas, dependendo do porte da variedade cultivada e das condições de cultivo.
A beldroega também pode ser cultivada facilmente em vasos.

Tratos culturais

Retire as plantas invasoras que estiverem concorrendo por recursos e nutrientes.
A beldroega pode ser uma planta invasora difícil de ser erradicada, pois cada planta pode produzir um grande número de pequenas sementes e estas permanecem viáveis por mais de uma década. Contudo, muitas vezes é também considerada uma invasora benéfica em plantações, por ser uma boa planta companheira para várias outras (por exemplo, para o milho).

Cultivar ornamental de beldroega 

Colheita

A colheita dos ramos e folhas da beldroega pode ser feita a partir de 60 a 80 dias após o plantio. Retire os ramos ou folhas individualmente quando necessário ou colha mensalmente, cortando os ramos aproximadamente 10 cm acima do solo.
OUTRA BELDROEGA

Lá pela hora do almoço para alguns, ou quase para outros, quando o sol começa a entrar a pino, a Portulaca atinge seu florescimento máximo do dia. Por isso, a flor, da família das Portulacaceae, a mesma da pata-de-elefante e da beldroega-graúda, tem como nome popular onze-horas. Fácil de plantar e pouco exigente em cuidados durante o desenvolvimento, a onze-horas possui pétalas delicadas em várias cores vibrantes, tornando-se uma bela flor para ornamentação.
Planta herbácea e com folhas suculentas, ela é adequada para cultivo em pequenos espaços, vasos, jardineiras e canteiros. A onze-horas gosta muito do sol e tem florescimento o ano inteiro - diminuindo no inverno. Embora o clima quente seja seu preferido, a planta tem boa tolerância a geadas, podendo ser cultivada em todo o país.
Por aqui, podem ser encontradas duas espécies de onze-horas do gênero Portulaca que são produzidas comercialmente como plantas ornamentais. Nativa da América do Sul, inclusive do Brasil, há a Portulaca grandiflora Hook na variedade comum, com flores brancas ou rosas ou ainda mesclada com as duas cores e na variedade dobrada - quando as pétalas são formadas em séries -, nos tons rosa, amarelo, vermelho e branco.
Apesar de já existir na Europa por volta de 1750, não se sabe ao certo a origem da Portulaca oleracea L. Também chamada beldroega, ela apresenta as mesmas cores da variedade dobrada da Portulaca grandiflora. Ambas são plantas anuais e de crescimento rápido, atingindo 20 centímetros de altura.
É importante distinguir a espécie silvestre da beldroega, pois trata-se de uma planta daninha que pode dominar a área de plantio. Espécies da família das Aizoaceaes, aAptenia cordifolia (L.f.) Schwantes, conhecida como rosinha-de-sol, e a Lampranthus productus, a cacto-margarida, também podem ser confundidas com as variedades da onze-horas.
No mercado, existem materiais genéticos melhorados e selecionados da Portulaca, desenvolvidos por institutos de pesquisa, floricultores particulares e empresas. Porém, o comércio ainda é tímido, oferecendo espaço em potencial para ser explorado.
RAIO-X
>>> SOLO: fértil e permeável
>>> CLIMA: quente, mas tolera geadas
>>> ÁREA MÍNIMA: vasos, canteiros e jardineiras
>>> CUSTO: caixa com 15 mudas custa cerca de R$ 7; o preço do envelope com 800 a mil sementes é a partir de R$ 1
MÃOS À OBRA
A onze-horas precisa de pelo menos quatro horas de sol por dia
>>> INÍCIO A onze-horas pode ser propagada por sementes ou por estaquia - a opção mais comum. A dobrada, no entanto, é comercializada somente por sementes. Mudas e sementes podem ser compradas em lojas de flores, centrais de abastecimento (Ceasa), viveiristas e até pela internet.
>>> PLANTIO Deve ser feito durante o verão, em solos férteis, permeáveis e irrigados, apesar de a onze--horas suportar terrenos levemente secos. O ideal é misturar uma parte de terra comum a uma parte de terra vegetal e duas partes de areia. A planta apresenta floração em abundância quando fertilizada.
>>> AMBIENTE Como tolera geadas, a onze-horas pode ser cultivada em todas as regiões do país. Porém, ela precisa receber, pelo menos, quatro horas de sol por dia. O mais indicado é que o plantio da flor seja realizado em áreas abertas, com iluminação direta.
>>> ESPAÇAMENTO Calcule uma densidade de 25 a 45 mudas de onze-horas por metro quadrado. A adubação recomendada é a básica, com o uso de calcário, fórmula N, P, K 10-10-10 e matéria orgânica.
>>> IRRIGAÇÃO Durante o verão, as irrigações devem ser mais frequentes, pelo menos uma vez por dia. No inverno, podem ser mais espaçadas, a cada dois ou três dias. Evite molhar as flores abertas.
>>> FLORESCIMENTO A floração da onze-horas ocorre principalmente na primavera e no verão, durante os meses mais quentes do ano. As flores abrem e fecham diariamente, mantendo o ambiente colorido durante o período de luminosidade mais intensa. As sementes começam a germinar por volta de dez a 15 dias do plantio e florescem com cerca de um mês do início do desenvolvimento das plantas. Em geral, as mudas vendidas já apresentam botões e flores, tornando praticamente imediato o florescimento no jardim.

Beldoegras – surgem normalmente no fim do inverno e reproduzem-se até quase ao final do verão. Estudos recentes revelaram que a beldroega é uma excelente fonte de ácidos gordos e, entre eles, de ómega 3, substâncias que ajudam a manter o coração saudável e fortalecem o sistema imunitário. É ainda rica em cálcio, em ferro, em fósforo e em magnésio, bem como em vitamina A,B, e C. Na culinária é muito popular no Alentejo, a beldroega pode ser consumida crua, em saladas e em molhos, ou cozinhada em sopas e em guisados.




Nenhum comentário:

Postar um comentário