domingo, 13 de setembro de 2015

Cultivo do Aneto - Endro (Anethum graveolens)


  • Nome Científico: Anethum graveolens
  • Nomes Populares: Endro, Anega, Aneto, Dill, Funcho-bastardo
  • Família: Apiaceae
  • Categoria: Ervas Condimentares, Medicinal, Plantas Hortícolas
  • Clima: Continental, Equatorial, Mediterrâneo, Subtropical,Temperado, Tropical
  • Origem: Ásia
  • Altura: 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Anual

O aneto (Anethum graveolens), também conhecido como endro, é uma erva muito semelhante em aparência ao funcho ou erva-doce, mas que apresenta um sabor e um aroma diferente. Alguns cultivares são mais apropriados para a colheita de suas folhas e outros mais apropriados para a colheita de suas sementes. Tanto suas folhas quanto suas sementes são usadas como condimento em diversos tipos de receitas. O aneto também é usado para fins medicinais.



Aneto florescendo 

Clima

Embora possa ser cultivado em uma ampla faixa de temperatura, normalmente o aneto ou endro é cultivado em regiões de clima subtropical ou de clima temperado. Em altas temperaturas a planta pode florescer precocemente e apresentar menor teor de óleo essencial. A faixa de temperatura ideal para o cultivo vai de 6°C a 26°C.
Ventos prejudicam as plantas, de forma que o local escolhido para o plantio deve ser bem protegido do vento.

Luminosidade

O aneto necessita de luz solar direta pelo menos por 5 horas diariamente.



O aneto ou endro cresce melhor em clima ameno, com solo úmido e luz solar direta o dia todo 

Solo

Cultive em solo bem drenado, profundo, fértil e rico em matéria orgânica. O pH ideal do solo vai de 5,5 a 6,5.

Irrigação

Irrigue de forma a manter o solo sempre úmido, mas sem que permaneça encharcado. Clima quente e solo seco induzem a planta a florescer precocemente.



Mudas de aneto ou endro

Plantio

As sementes devem ser plantadas de preferência no local definitivo, pois as raízes das mudas de endro ou aneto podem ser facilmente danificadas no transplante. Se plantadas em sementeiras, as mudas devem ser transplantadas assim que puderem ser manuseadas. As sementes devem ser plantadas de 6 mm a 1 cm de profundidade.
O espaçamento pode ser de 15 a 60 cm entre as linhas de plantio e de 10 a 15 cm entre as plantas. As plantas podem atingir a altura de 30 cm a 1,2 m, ou mesmo mais. Os cultivares de menor tamanho podem ser cultivados em vasos de tamanho médio ou grande.
O aneto ou endro não deve ser cultivado próximo ao funcho ou erva-doce, pois estas duas espécies intercruzam facilmente, e as plantas resultantes não apresentam boa qualidade de sabor e aroma.



Os cultivares de aneto de porte pequeno podem ser cultivados em vasos 

Tratos culturais

Retire plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos.

Colheita

A colheita das folhas pode começar aproximadamente em um ou dois meses após o plantio. As folhas podem ser colhidas quando necessário ou a planta inteira pode ser cortada, mas deixando pelo menos 10 cm do caule planta para que a planta possa rebrotar. A colheita das folhas individuais pode ser feita até a floração, mas colher as folhas pode prejudicar a produção de sementes. Se o objetivo é colher sementes, o ideal é que as folhas não sejam colhidas, ou que se colha pouco e esparsamente. As sementes são colhidas quando os frutos começam a ficar amarronzados.
As folhas podem ser deixadas para secar em local fresco e sombreado, mas as folhas frescas são consideradas mais saborosas.



Folha de aneto ou endro

Endro, aneto, dill (inglês) ou eneldo (espanhol), todos estes nomes remetem a esta incrível e versátil planta: Anethum graveolens. Originária do Velho Mundo, esta erva é amplamente utilizada na Europa. Na mitologia, está relacionada à proteção devido ao seu intenso aroma. Considerado potencializador de poções de amor e afrodisíacas, acreditando-se também que ele traga felicidade para o casamento e boa sorte.
Características botânicas
Planta anual, que atinge cerca de 20-40 cm de altura no nosso clima tropical, podendo atingir maiores alturas em outros climas. As folhas são aromáticas, plumosas e azul-esverdeadas. Seu caule é oco, estriado, ramificado e azul-esverdeado, normalmente, cada planta tem um caule principal. Suas sementes são aromáticas, achatadas, ovaladas, com centro castanho e estriado, e bordas amarelo acastanhadas, contêm ácido silício, cálcio, fósforo e outros sais minerais. As flores são muito pequenas, fortemente aromáticas e amarelas que desabrocham em meados do verão, lembrando as do funcho (Foeniculum vulgare). Faz parte da família Apiaceae, a mesma do funcho, anis, coentro, cominho, cenoura, salsa lisa e outras ervas do nosso jardim.

Cultivo-Solo/Clima
Considerado anual a bianual que se adapta melhor aos solos argilo-arenosos, férteis, bem drenados e levemente ácidos, com iluminação plena. Não desenvolve muito bem em solos muito argilosos ou muito arenosos. Não tolera chuvas fortes ou o granizo. O plantio é feito diretamente no campo ou em sementeiras, no outono ou na primavera, respeitando-se o espaçamento de 0,3 x 0,6 m entre cada cova. Faz-se a colheita quando as sementes da planta começarem a ficar marrons, cortando-se os caules com as inflorescências. Pode ser plantada em vasos e canteiros.
No jardim
Atrai animais benéficos, como abelhas e borboletas. Porém é suscetível aos pulgões e oídeos.

Usos culinários, medicinais e outros
Muito utilizado em dietas sem sal, pois é rica em sais minerais. As sementes são apreciadas na culinária, podendo ser usadas inteiras ou moídas em sopas, pratos de peixe, conservas, legumes, tortas de maçã, manteiga de aneto, bolos e pães. As extremidades floridas podem ser adicionadas em frasco de pepinos e couve-flor em conserva. As folhas podem ser picadas e adicionadas em sopas, saladas de batata, queijo-creme, ovos, salmão e carne grelhada, além do popular vinagre curtido com dill. Medicinalmente, combate soluços e cólicas de bebês. Apresenta propriedade calmante. Na cosmética, clareia a pele, endurece as unhas e melhora o hálito. Podemos utilizar toda a planta, como folhas, flores e sementes e talos.
Que tal aproveitar esta propícia época do ano para cultivar esta incrível erva?

Medicinal:

  • Indicações: enjôos, aumentar a lactação, cólica intestinal em bebês, dismenorréia, dispepsia, dor de dente, espasmos gastrointestinais, flatulências, azia, insônia, inflamação dos olhos, desinfecção de feridas
  • Propriedades: antidiarréica, antiemética, antiespasmódica, antiinflamatória, anti-séptica, aperiente, aromática, carminativa, depurativa, digestiva, diurética, estimulante, galactagoga, laxante, supurativa
  • Partes Utilizadas: folhas, flores, sementes, frutos

CURIOSIDADES

O endro é uma planta herbácea anual, muito utilizada como condimento e na medicina popular desde a antiguidade. Sua ramagem é ereta, estriada, fistulosa, ramificada e pode alcançar de 0,9 a 1,5 metros de altura. Suas folhas são finamente divididas, pinadas de 4 a 5 vezes em filiformes segmentos de 2,5 cm. O conjunto de suas folhas e ramos apresenta uma coloração verde-azulada e um aroma suave, comparado a frutas secas. A floração ocorre em meados do verão, despontando grandes inflorescências do tipo umbela, compostas de numerosas flores amarelas e pequenas. As frutos são vagens achatadas que carregam as sementes aromáticas.
Tanto as folhas, como os frutos e as sementes do endro podem ser aproveitadas para o consumo, como condimentar. Elas servem cruas ou cozidas, inteiras ou moídas, para temperar pratos quentes ou frios, de saladas, peixes, batatas, molhos, couves, maioneses, picles, pães, etc. O endro é um condimento muito popular na Europa Oriental e do Norte, sendo indispensável na culinária de russos e escandinavos. É também um dos ingredientes do curry na Índia.
As sementes do endro encerram óleos essenciais, que são extraídos para aproveitamento na indústria de perfumes, produtos de higiene, medicamentos, culinária e até como potencializantes de inseticidas. É uma planta ótima para a horta doméstica de pessoas que gostam de experimentar novos sabores na cozinha e para quem quer usufruir de seu valor medicinal. O chá de endro tem sabor suave, adocicado e pode ser preparado das folhas frescas ou desidratadas e das sementes também.
Diz-se que um saquinho de sementes de endro, carregados próximo ao coração, protege o indivíduo contra o mau-olhado e sentimentos negativos. Outra curiosidade é que as larvas de borboletas da superfamília Papilionidae adoram devorar as folhas do endro e por este motivo ele é cultivado para atrair e alimentar estas borboletas em jardins e borboletários de colecionadores e instituições de pesquisa e preservação.
Deve ser cultivado sob sol pleno, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado a intervalos periódicos. É uma planta muito rústica que pode ser cultivada com facilidade por jardineiros iniciantes. Aprecia o clima ameno. As sementes podem ser colhidas em cerca de 90 dias após o plantio no verão e 120 dias no inverno. Multiplica-se por sementes que devem ser postas a germinar diretamente em canteiros definitivos, pois não suporta transplantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário