sábado, 25 de junho de 2016

Hortaliças Orgânicas: Cenoura (Daucus carota L)



Não há registro na literatura mundial sobre resultados práticos de programas de melhoramento de cenoura para sistemas orgânicos. No Brasil, grande parte da área de cenoura cultivada em sistemas orgânicos, utiliza-se de sementes de cultivares desenvolvidas pela Embrapa Hortaliças para uso em sistemas de cultivo convencionais. Em decorrência deste fato, as atividades de pesquisa executadas no âmbito do seu programa de melhoramento, têm como principal componente a validação de novas populações de cenoura desenvolvidas para cultivo em sistemas convencionais, em diferentes tipos de sistemas orgânicos da região do Distrito Federal. Adicionalmente, novas estratégias de melhoramento estão sendo analisado, o que deverá propiciar em curto prazo, o desenvolvimento de novas cultivares de cenoura específicas para uso em sistemas agroecológicos. Enquanto isso, cultivares como Brasília, BRS Alvorada, BRS Esplanada e BRS Planalto têm se adaptado satisfatoriamente ao cultivo orgânico. Além das boas características para processamento, a cultivar BRS Esplanada foi avaliada durante cinco ciclos de cultivo em sistema orgânico de produção, visando o consumo de mesa. A produtividade desta cultivar, neste sistema chegou, em testes realizados com produtores orgânicos na região do Distrito Federal, a 28 t ha-1. Em relação a cultivar de mesa BRS Planalto, ensaios de validação durante vários anos de teste em propriedades que utilizam o sistema agroecológico na região do Distrito Federal têm demonstrado produtividades superiores a 31,5 t ha-1.
A cenoura (Daucus carota), pertence a família das apiaceae, assim como o coentro, aipo, salsão, salsa e batata-salsa. A importância nutricional da cenoura (Figura 1) é atribuída, principalmente, ao alto teor de vitamina A (vitamina da beleza), essencial para a saúde dos olhos, pele, dentes e cabelos, atuando sobre o crescimento e aumentando a resistência do organismo às doenças. Outras vitaminas como B1, B2, B5 e vitamina C também são encontradas nas cenouras, além de teores consideráveis de sais minerais (cálcio, fósforo e ferro). O consumo regular de cenoura é eficiente no combate à anemia e falta de vitaminas.
Por ser consumida na forma de salada crua e também cozida, o cultivo orgânico de cenoura (sem agroquímicos) é essencial para garantir a saúde do agricultor, consumidor e meio ambiente. Pesquisa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, com 21 espécies de frutas e hortaliças em 26 estados no Brasil, revelou que, das 3.130 amostras coletadas em 2009, 29% apresentaram resíduos de agrotóxicos, especialmente, os não autorizados para as culturas. A cenoura foi uma das mais contaminadas, apresentando 24,8% das amostras com resíduos de agrotóxicos. Considerando que na cenoura, praticamente, não há prejuízos com pragas e doenças e, por isso, não necessita de agrotóxicos, estes resultados são muito preocupantes. Chama a atenção a quantidade de amostras contaminadas com acefato. Além de ser proibida em vários países, a substância está sendo reavaliada pela Anvisa, pois é um dos ingredientes ativos com alto grau de toxicidade aguda contribuindo para os problemas neurológicos, reprodutivos, de desregulação hormonal e até câncer.

Recomendações técnicas

Escolha correta da área e análise do solo: na escolha da área devem-se evitar terrenos úmidos e/ou sombreados. A cenoura produz melhor em solos leves e soltos (areno-argilosos,franco arenosos e turfosos).

Épocas de semeadura e cultivares: o cultivo pode ser feito durante o ano todo. Mas, para cada época deve-se escolher a cultivar correta. As cultivares de inverno não podem ser semeadas no verão devido à susceptibilidade às doenças foliares. Por outro lado, as cultivares de verão semeadas no inverno, florescem, em detrimento da qualidade das raízes. Para cultivo no outono e início de inverno no Litoral, recomenda-se cultivares do grupo Nantes (Nantes, Meio comprida de Nantes,Nantes Superior e outras). No final de inverno, primavera e verão são indicadas as cultivares do grupo Brasília (Brasília, Brasília RL, Brasília Irecê, Brasília Calibrada G, Brasília Alta Seleção e Brazlândia). Pesquisa na Estação Experimental de Urussanga, na semeadura de agosto, revelou a superioridade do cultivo orgânico em relação ao sistema convencional.

Preparo do solo e do canteiro: as sementes, por serem pequenas, exigem bom preparo do solo para que ocorra boa emergência das plantas. No preparo do canteiro, recomenda-se: correção da acidez, revolvimento do solo, manualmente (pá de corte ou enxadão) ou mecanizado (aração profunda e gradagens cruzadas), espalhar na área o adubo orgânico curtido sete a dez dias, antes da semeadura, e construção dos canteiros com auxílio de um roto-encanteirador ou rotativa de microtrator.
Os canteiros devem ter em torno de 1,10 m de largura e 15 cm de altura e comprimento variável. Após o nivelamento e retirada dos torrões marca-se os sulcos de semeadura (1 a 2 cm de profundidade), espaçados de 30 em 30 cm, utilizando-se um riscador.

Adubação de plantio: a adubação orgânica deve ser feita com base na análise do solo e nos teores de nutrientes do adubo orgânico. Plantas bem nutrida são mais resistentes às pragas e doenças. Fundação 2,0 t ha de fosfato Natural e 300 kg há de Algen (Lithothamnium), dois meses antes do plantio, composto 2 kg/m2 + Bokashi 200gr/m2.

Semeadura, cobertura do solo e manejo de plantas espontâneas: semeia-se diretamente em sulcos, manualmente ou com semeadora de tração mecânica ou manual, 0,5 a 1g de sementes por m2. O uso de cobertura após a semeadura é recomendado, especialmente no verão, quando as temperaturas são elevadas e as precipitações freqüentes. Pesquisa da Epagri revelou maior emergência de plantas ao utilizar sombrite, pó-de-serra ou casca de arroz (2 cm) como cobertura, em comparação ao solo descoberto. A cobertura protege as sementes do sol direto no verão, da erosão provocada pela irrigação ou chuvas e, impede a formação de uma crosta dura no solo que impede a emergência das plantas.O período mais crítico de competição com as plantas espontâneas é na emergência da cenoura, até os 25 dias subsequentes. Após, as plantas espontâneas não reduzem a produção e, ainda favorecem o equilíbrio ecológico. Para retardar as plantas espontâneas, uma boa opção é a cobertura do canteiro com jornal (preto e branco); cobre-se todo o canteiro utilizando-se uma folha de jornal e, sobre esta, aplica-se 2cm de composto orgânico peneirado. Depois, procede-se a abertura dos sulcos, a semeadura e cobertura das sementes e, irrigação do canteiro.

Desbaste e adubação de cobertura: após três semanas da emergência da cenoura, efetuar o desbaste (eliminação do excesso de plantas). Recomenda-se deixar 10 a 15 plantas por metro linear, ou seja, 7 a 10 cm entre plantas. Aos 25 dias após a semeadura, quando necessário, faz-se uma adubação em cobertura. Bokashi 200gr/m2

Irrigação: o sistema de irrigação por aspersão é o mais utilizado. O solo deve ser mantido úmido, sem encharcar, durante todo o ciclo da cultura. A falta d'água no solo, seguidos de irrigação excessiva, podem provocar rachaduras nas raízes que pode ser agravado com a deficiência de boro e/ou cálcio. Por isso, recomendam-se irrigações diárias leves até a emergência da cenoura (até os 40 dias após a semeadura).

Manejo de doenças e pragas: é resistente às pragas. As principais doenças são: queima das folhas e podridão mole. A Queima das folhas é causada por dois fungos e uma bactéria que aparecem com umidade relativa do ar alta e temperatura entre 24 e 28 ºC. Manejo: usar cultivares resistentes (grupo Brasília); plantio em locais enxutos e ventilados e rotação de culturas. A Podridão mole é causada por uma bactéria ainda na lavoura. As raízes apresentam pequenas áreas encharcadas e sob condições de altas umidade e temperatura, aumentam rapidamente, tornando o tecido mole e pegajoso e com cheiro desagradável, ocasionando o amarelecimento das folhas, a seca e morte da planta. Manejo: fazer canteiros altos; rotação de culturas; evitar terrenos encharcados; evitar ferimentos nas raízes, por ocasião dos tratos culturais e colheita.

Colheita: a colheita é realizada entre 85 e 110 dias após a semeadura. Não retardar a colheita para evitar que se tornem muito grossas e fibrosas, sujeitas à rachaduras. O consumidor prefere raízes mais novas. As cenouras são arrancadas manualmente, após uma irrigação prévia para evitar danos. Após as folhas são cortadas rente às raízes e colocadas em caixas plásticas. Ainda no campo, faz-se a separação das raízes comerciais daquelas do tipo descarte (raízes laterais, bifurcadas, apodrecidas, rachadas e danificadas). As raízes são lavadas, manualmente, com água corrente. Em seguida, faz-se nova seleção, eliminando-se as raízes danificadas por doenças e/ou pragas e as defeituosas.
As cenouras são lavadas e secas o mais rápido possível. Em seguidas são classificadas conforme o comprimento e o diâmetro das raízes. Em ambiente natural, as raízes se conservam com qualidade adequada, no máximo até 7 dias.

Beneficio da Cenoura Para a Saúde

Prevenção do Câncer: Os altos níveis de antioxidantes na cenouras ajuda a diminuir o risco de câncer. Estudos descobriram que a cenoura pode ajudar a prevenir três dos tipos mais comuns de câncer: mama, pulmão e câncer de cólon. Eles são uma das poucas fontes alimentares de falcarinol, um pesticida natural e álcool graxo que a pesquisa constatou que podem prevenir o câncer.

Melhor digestão: As cenouras são uma grande fonte de fibras, o que é importante para manter o sistema digestivo funcionando corretamente. Ela também ajuda a voce a sentir-se cheio assim você acaba comendo menos.

Olhos saudáveis: As cenouras são uma grande fonte de beta-caroteno, que é convertido em vitamina A no organismo e é essencial para a saúde ocular. Além disso, melhora a visão noturna e previne doenças oculares relacionadas à idade, como catarata e degeneração macular.
Anti-envelhecimento: A vitamina A nas cenouras ajuda a pele, ajudando a livrar-se de células danificadas e regenerando novas. A vitamina A também mantém a pele protegida dos raios Utra Violetas prejudiciais, retarda o envelhecimento, previne a acne, ajuda a pele seca, e melhora a aparência.
Saúde do Coração: Um estudo descobriu que o risco de doença cardíaca foi reduzido em 32% em pessoas que comiam pequena porção de cenouras por dia. Outro estudo que acompanhou idosos descobriu que aqueles que comeram uma xícara de cenoura ou abóbora por dia reduziu seu risco de doença cardíaca por um gritante 60%. Alguns estudos também mostram uma ligação entre o consumo de beta-caroteno e redução do risco de problemas cardíacos.
Níveis de colesterol: A fibra da cenoura ajuda a reduzir níveis de colesterol. O magnésio em cenouras também ajuda a regular o colesterol.
Perda de peso: As cenouras são ricos para nutrição e baixa em calorias, o que significa que você vai se sentir de estômago cheio, sem comer muitas calorias. Além disso, as cenouras ajudar a melhorar o funcionamento do metabolismo porque contém ácido nicotina para quebrar os lípidos e as gorduras que estão presentes no interior do corpo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário