sexta-feira, 10 de março de 2017

Cultivo do Estragão (Artemisia dracunculus)


Artemisia dracunculus
O estragão, também chamado de erva-dragão, é uma das ervas aromáticas mais apreciadas na culinária francesa. Planta perene que normalmente atinge de 60 a 150 cm de altura, mas que pode chegar a 2 m, pode ser encontrada crescendo espontaneamente em grande parte do hemisfério norte. O Estragão cultivado é classificado como estragão-francês (ou estragão-alemão), e estragão-russo. O estragão-francês é considerado o melhor para uso culinário, sendo o mais aromático e o que tem melhor sabor. O estragão-russo tem pouco aroma e sabor, mas é mais fácil de cultivar, é mais resistente e cresce mais.
O estragão-francês geralmente tem folhas verdes mais escuras e porte menor que o estragão-russo

Clima

O estragão cresce melhor com temperaturas entre 4°C e 20°C, podendo ser cultivado em regiões de clima temperado ou subtropical. O estragão-russo suporta melhor as baixas temperaturas que o estragão-francês. Em clima quente, o estragão tende a ser insípido.

Luminosidade

Esta planta precisa de pelo algumas horas de luz solar direta diariamente.
O estragão-russo é mais vigoroso e resistente, mas é menos aromático e saboroso

Solo

Cultive preferencialmente em solo leve, moderadamente fértil, bem drenado e que não retém muito a umidade, mas pode ser cultivado mesmo em solos pobres ou pedregosos. Embora seja bastante tolerante quanto ao pH do solo, um pH entre 6 e 7,5 é recomendado.

Irrigação

Irrigue de forma a manter o solo levemente úmido, podendo permitir que o solo seque superficialmente antes de uma nova irrigação. Esta planta é sensível ao excesso de água, principalmente durante o inverno.
Mudas de estragão-russo, obtidas através de sementes 

Plantio

Apenas o estragão-russo pode ser propagado por sementes. O estragão-francês normalmente não produz sementes e é propagado apenas pela divisão de plantas bem desenvolvidas ou por estaquia.
As sementes do estragão-russo podem ser semeadas diretamente no local definitivo ou podem ser semeadas em sementeiras ou pequenos vasos, transplantando as mudas quando estiverem grandes o bastante para serem manuseadas. Deixe as sementes no solo a não mais do que 0,5 cm de profundidade. As sementes geralmente levam de 2 a 3 semanas para germinar.
Para o estragão-francês, o método mais utilizado é a divisão de plantas bem desenvolvidas e saudáveis. Uma planta pode ser dividida de forma a obter de 3 a 5 mudas. Ramos também podem ser cortados e plantados em terra ou areia, mantida sempre úmida até o enraizamento.
O espaçamento pode ser de 30 a 60 cm entre as linhas de plantio e de 30 a 50 cm entre as plantas, dependendo do tamanho da cultivar (o estragão-francês tem porte menor que o estragão-russo).
O estragão pode ser cultivado em vasos e jardineiras grandes, mas as plantas terão que ser divididas e replantadas com maior frequência.

Tratos culturais

Retire plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos.
Renove a plantação a cada três ou quatro anos, dividindo as plantas para formar novas mudas.
Estragão-francês

Colheita

A colheita normalmente pode ser iniciada em 60 dias após o plantio. Colha ramos ou folhas quando necessário e corte toda a parte aérea antes do inverno. As folhas devem ser usadas frescas, pois perdem o sabor e o aroma quando secas.

O estragão, de nome científico Artemisia dracunculus, é uma herbácea perene pertencente à família da Artemísia e originária da Ásia Central e do Sul do continente.  Trata-se de uma planta de cor verde-escura, com talo e folhas estreitas que se dividem em três pontas. É bastante raro que o estragão apresente flor, mas pode ter umas pequenas flores amarelas que formam um cacho.
Existem dois tipos de estragão: o verdadeiro (ou francês) e o falso (ou russo). É provável que o verdadeiro estragão tenha se originado do russo devido a uma “falha genética”, tendo o seu aroma realçado.
Os primeiros registros históricos da utilização desta planta datam de 2.000 a.C, na China. Posteriormente, o estragão foi introduzido na cozinha dos árabes e levado por eles até a Europa. Esta herbácea tem o uso bastante difundido na culinária francesa, onde faz parte da mistura fines herbes, juntamente ao cerefólio, a salsa e a cebolinha.
Neste artigo, saiba mais sobre as propriedades e os benefícios do estragão:

Usos

As aplicações culinárias do estragão

O estragão é uma erva bastante importante na cozinha, tendo um uso bastante difundido na culinária francesa. A planta tem um aroma bem forte e específico, e o sabor de suas folhas é adocicado e levemente picante, similar ao do anis. Devido ao seu gosto acentuado, as folhas do estragão são excelentes no preparo de saladas, picles, molhos, vinagres, peixes e omeletes. É bastante utilizado no preparo dos famosos molhos (sauces) béarnaise, tartare e hollandaise.
O estragão também é usado para condimentar sopas, molhos, recheios, pratos de peixe, pratos de aves, carne de bovino assado e bifes. Por ter um aroma parecido ao de anis, a planta também combina com sobremesas feitas de maçã, por exemplo. Além disso, também acrescenta um excelente sabor a omeletes, espargos, caranguejo, ovos cozidos e cottage.

O uso terapêutico do estragão

Além do uso culinário abrangente, o estrago também possui propriedades que trazem benefícios à nossa saúde. As folhas desta planta possuem elevado teor de iodo, sais minerais e vitaminas A e C. Tem efeito diurético e anti-aterosclerótica, estimula o apetite, acelera a digestão, alivia a cólica menstrual e tem efeito tônico de uso geral. Lembre-se sempre que qualquer uso terapêutico deve ser acompanhado por um especialista.



Nenhum comentário:

Postar um comentário